Receita de creme de abóbora despretensioso

Receita de creme de abóbora com shimeji

Receitinha mais fácil do mundo essa! É ótima para aqueles dias de correria.
Eu ainda tinha alguns saquinhos de abóbora já picada e congelada que sobrou dessa abóbora gigante aqui, então resolvi arriscar em um creme de abóbora.
Coloquei os pedaços de abóbora ainda congelados para cozinhar em um pouco de água. Quando ela ficou bem molinha, levei junto com a água do cozimento para o processador e voltei tudo para a panela. Acertei o sal, coloquei uma colherzinha de curry e outra de cúrcuma, e deixei ferver até engrossar um pouquinho.
Para acompanhar aproveitei uma bandejinha de shimeji que estava na geladeira, um restinho de molho inglês, já que eu não tinha shoyo, e uma colher de manteiga, tudo no olho mesmo. Levei para a frigideira, em fogo médio, até o cogumelo ficar macio. Para finalizar um punhado de cebolinha bem picada.
No meio do preparo do creme, bati o olho na data de validade de um pacote de pão de hambúrguer e constatei que aquele era o último dia do prazo. Na hora, saquei minha linda faca de pão lilás, piquei todo o pão em quadradinhos, coloquei em uma assadeira junto com um ramo de alecrim e outro de tomilho, reguei tudo com azeite e uma pitada generosa de flor de sal. Assei por 15 minutos, e tcharam, lindos e perfumados croutons, que acompanharam meu lindo creme de abóbora despretensioso!!
Coloquei o creme em cumbucas, por cima o shimeji, e ao lado os croutons e quadradinhos de queijo.Gastei no máximo 40 minutos para preparar tudo, definitivamente uma receita prática, hiper nutritiva e saborosíssima!

Receita de Rolinhos de Canela (Cinnamon Rolls)

Encontrei ela anotada no meu caderno de receitas, não me lembro de onde ela veio, mas posso afirmar que tem cara de dias frios, perfuma a casa de forma encantadora e vai muito bem com um cafezinho.Receita de Rolinhos de Canela (Cinnamon Rolls)
Ingredientes:
Massa:
¾ xícara de leite morno
¼ xícara de água
¼ xícara de manteiga derretida
1/2 de xícara de açúcar
½ colher de chá de sal
2 tabletes (30 gramas) de fermento biológico
1 ovo
3 ¼ xícaras de farinha de trigo – caso seja necessário, pode acrescentar mais um bocadinho de farinha.

Recheio:
½ xícara de manteiga em temperatura ambiente
1 xícara de açúcar mascavo
1 colher de sopa de canela

Glacê:
1 ⅓ xícara de açúcar de confeiteiro
2 ou 3 colheres de sopa de leite

Modo de Preparo:
Misture o açúcar, o sal, a manteiga derretida, junte a água e o leite (eles precisam estar mornos), adicione o fermento biológico e mexa até ele ficar totalmente dissolvido.
Junte o ovo e depois vá incorporando a farinha. Sove bem a massa, até ela parar de grudar na mão e ficar bem lisinha.
Deixe a massa crescendo por cerca de 20 minutos.
Aproveite esse tempo para preparar o recheio. Basta misturar a manteiga em temperatura ambiente com o açúcar mascavo e a canela. Reserve.
Abra a massa com a ajuda de um rolo, em formato de retângulo de cerca de 30 centímetros de comprimento e 25 de largura. Cubra a massa com o recheio, deixando uma bordinha sem recheio para poder colar a massa.
Pincele um pouco de água na borda sem recheio e enrole a massa a partir da outra extremidade. Grude bem a massa para o rolo ficar bem firme.
Corte o rolo em cerca de 10 pedaços iguais. Disponha os rolinhos bem espaçados em uma forma untada com manteiga. Deixe-os crescer por mais 20 minutos.
Asse em forno pré-aquecido à 150 graus por 20 minutos ou até dourar.
Prepare o glacê misturando o açúcar com o leite até formar um creme. Reserve.

Tire os Cinnamon Rolls do forno e decore com o glacê.

Temperos e Especiarias: Coentro Caipira

Coentro de folhas largas, Coentro Caipira
Apesar de ser conhecido por muitos nomes, como coentro caiçara, coentro de folha, coentro de folhas largas, chicória do norte, chicória-do-pará, coentrão, eu nunca tinha sequer ouvido falar dele de nenhuma forma...
Eu particularmente odeio o “nosso”coentro, (coentro de cheiro), só de lembrar dele tenho arrepios, acho que é a única coisa do mundo que de fato eu não como de jeito nenhum... Então quando ouvi dizer que no Azul Marinho ia coentro, já torci o nariz, mas acontece que quando me deparei com o coentro caipira, me surpreendi, seu aroma lembra o coentro de cheiro, mas é muito mais delicado e suave, não é nada enjoado como o outro. Seu sabor também não mata o sabor do prato, ele dá espaço para outros sabores!!
Em minhas buscas pela internet, li que o coentro caipira é nativo das regiões amazônicas e é base da culinária paraense, não encontrei nenhuma referência sobre sua presença no litoral paulista, porém em relatos de muitas pessoas da região ouvi que ele nasce por lá, desde sempre, como se fosse mato, e em determinada época do ano ele finge que morreu, mas passado um tempinho dá seu ar da graça novamente!

Adorei!! Espero tê-lo na minha horta muito em breve!! J
<a href="http://www.bloglovin.com/blog/14334065/?claim=t95y6ywuy45">Follow my blog with Bloglovin</a>

Renda-se aos encantos do Azul Marinho

A partir do século XVI, o litoral norte de São Paulo, foi palco de uma miscigenação de brancos de origem portuguesa, grupos Tupinambás e negros libertos, todas as tradições desses povos resultaram em uma linda base cultural. A culinária é integrante dessa base, hoje conhecemos ela como culinária caiçara, e a principal estrela é o Azul Marinho, prato preparado na panela de ferro, considerado patrimônio cultural, que é composto de ingredientes abundantes nas regiões litorâneas como a banana, a farinha de mandioca, o coentro caipira e o peixe.
Há tempos que eu queria prepará-lo, me encantei com a sua história, e sua química! Seu nome se dá, pois o tanino presente na banana verde se liga à proteína do peixe e ao ferro da panela, e dá um tom azulado ao prato.
Comprei uma panela de ferro, já que ela é essencial no preparo, e logo no dia seguinte saí para comprar os ingredientes, porém como sou do interior, foi impossível encontrar o peixe ideal e o coentro caipira na minha cidade.
Esperei ansiosamente a minha próxima ida à Ubatuba, lá sempre compro peixes direto na praia, quando os pescadores voltam do mar, acontece que era dia das mães, e a cidade simplesmente parou, não encontrei nenhum pescador, comecei a pedir informações na rua, até que me indicaram uma peixaria que estaria aberta. Ela era bem pertinho de onde eu estava, fui prontamente atendida pelo deu Plácido, dono da peixaria, como eu sou bem chegada em uma prosa, começamos a conversar, ele me contou histórias de sua infância na praia Dura e depois em Maranduba, local onde vive até hoje. Aos poucos seus filhos, netos e até uma bisnetinha recém nascida foram chegando, contei que eu queria fazer o Azul Marinho, e aí eles me explicaram direitinho como fazer a autêntica receita caiçara! Fui advertida, no Azul Marinho tem que ter o Coentro Caipira, de folha larga, expliquei que fui na feira de Ubatuba e não o encontrei, para minha surpresa, saí de lá com lindos peixes e algumas folhas de Coentro Caipira direto do quintal do seu Plácido!
Fui embora feliz, pela conversa, pela receita e pelos ingredientes!!

Se estiver por Ubatuba e quiser comprar peixe, a Peixaria Plácido fica na Rua 9, nº43 - Maranduba.


Receita Tradicional de Azul Marinho


Receita de Azul Marinho

Ingredientes:
2kg de peixe firme cortado em postas (garoupa, tainha, dourado, sargo, pampo)
10 bananas bem verdes (Nanica ou São Tomé – a São Tomé é aquela banana que é vermelha)

Banana Verde para a Receita de Azul Marinho
Tomatinhos cereja à gosto
5 folhas de coentro caipira

Salsinha e Cebolinha à gosto
Limão cravo

Temperos para a Receita de Azul Marinho
Sal à gosto
Farinha de mandioca

Modo de preparo:
Tempere as postas de peixe com sal e limão cravo e reserve.

Peixe para a Receita de Azul Marinho
Descasque as bananas, deixando as “quinhinhas” com um pouquinho de verde, coloque-as para cozinhar na panela de ferro, se não tiver, use outra panela e coloque um prego bem grande dentro para cozinhar junto.
Receita de Azul Marinho
Quando as bananas estiverem macias, retire-as da água. Reserve a água do cozimento em outra panela.
Arrume as postas de peixe em uma lateral da panela, na outra lateral arrume as bananas, deixando a cabeça e o rabo do peixe no meio. Jogue por cima do peixe a água que do cozimento da banana, na hora ele já vai dar uma leve cozinhada, junte os tomatinhos e o coentro e leve ao fogo por cerca de 7 minutos, ou até o peixe estar cozido. Acerte o sal.

Receita de Azul Marinho
Agora preparamos o pirão que acompanha o Azul Marinho, é bem simples: 
Pirão que acompanha a Receita de Azul Marinho
Coloque um pouco de caldo em 4 bananas em um recipiente. Amasse bem as bananas com um garfo, junte mais um pouquinho de caldo e vá adicionando farinha de mandioca aos pouquinhos, aé chegar no ponto desejado!
Sirva com arroz branco e bom apetite!

P.S. Reza a lenda que o Azul Marinho encanta todos que o provam, e a partir daí haverá outras oportunidades de tê-lo como prato na mesa. Eu fui encantada! J


P.S do P.S: Sobre o Coentro Caipira
Coentro Caipira para a Receita de Azul Marinho

Apesar de ser conhecido por muitos nomes, como coentro caiçara, coentro de folha, coentro de folhas largas, chicória do norte, chicória-do-pará, coentrão, eu nunca tinha sequer ouvido falar dele de nenhuma forma...
Eu particularmente odeio o “nosso”coentro, (coentro de cheiro), só de lembrar dele tenho arrepios, acho que é a única coisa do mundo que de fato eu não como de jeito nenhum... Então quando ouvi dizer que no Azul Marinho ia coentro, já torci o nariz, mas acontece que quando me deparei com o coentro caipira, me surpreendi, seu aroma lembra o coentro de cheiro, mas é muito mais delicado e suave, não é nada enjoado como o outro. Seu sabor também não mata o sabor do prato, ele dá espaço para outros sabores!!
Em minhas buscas pela internet, li que o coentro caipira é nativo das regiões amazônicas e é base da culinária paraense, não encontrei nenhuma referência sobre sua presença no litoral paulista, porém em relatos de muitas pessoas da região ouvi que ele nasce por lá, desde sempre, como se fosse mato, e em determinada época do ano ele finge que morreu, mas passado um tempinho dá seu ar da graça novamente!

Adorei!! Espero tê-lo na minha horta muito em breve!! J














Receita de Doce de Abóbora em pedaço

Essa receita é daqueles doces de abóbora que ficam com aquela casquinha por fora, e molinhos por dentro, é o meu preferido! Para dar essa consistência, é preciso usar Cal Virgem. Demorei uma semana para conseguir achar o cal, erroneamente eu estava procurando em lojas de material de construção, que atualmente só vendem o cal hidratado, que não serve para o nosso objetivo.
Cal Virgem
No final das contas, minha mãe me salvou e me deu um pouco do que ela tinha. Ela me disse que encontramos ele em supermercados ou lojas de produtos para confeitaria.

Ingredientes
6 quilos de abóbora cortada em pedaços grandes
2,5 quilos de açúcar
2 colheres de cal virgem
Canela em pau a gosto
Cravo a gosto

Modo de fazer
Primeiro piquei a abóbora em pedaços grandes.
Receita de Doce de Abóbora em pedaço
Coloquei-os de molho em uma bacia plástica cheia de água misturada com cal virgem. Deixei por aproximadamente 3 horas.
Receita de Doce de Abóbora em pedaço
Tirei do molho e lavei bem em água corrente todos os pedaços.
Em uma panela fiz uma calda fina usando água, açúcar e as especiarias, nesse momento, na frente daquela enorme panela, com a colher de pau em punho, o vapor subindo junto com o aroma das especiarias, me senti uma verdadeira feiticeira, capaz de preparar as poções mais cheias de encanto do mundo!
Receita de Doce de Abóbora em pedaço
Acrescente os pedaços de abóbora e deixei-os cozinhando até ficarem macios por dentro e cascudinhos por fora.
Receita de Doce de Abóbora em pedaço
É importante não misturar com a colher durante o cozimento para a abóbora não desmanchar. Também não é indicado tampar, pois a casca de fora não se forma da maneira correta.
Receita de Doce de Abóbora em pedaço
Detalhe da casquinha se formando

Agora é só saborear!

Receita de Torta de Abóbora Americana

Eu amo tortas, acho que além delas serem deliciosas, são lindas e até poéticas.
Receita de Torta de Abóbora Americana
As tortas americanas por exemplo, me encantam desde a infância, conversando com a minha mãe, ela me lembrou de uma coleção de livros que narrava o cotidiano da família Ingalls , no decorrer dos capítulos percebemos uma deliciosa torta de abóbora presente na alimentação da família.
Laura Ingalls
Os livros são baseados na história real da família, é considerado um clássico americano, foram escritos de 1932 a 1943 por Laura Ingalls. Ao todo são 10 livros, ganhei o primeiro no meu aniversário de 7 anos, foi presente de uma amiga, e todas as noites, minha mãe lia um capítulo para mim antes de dormir, eu adorava!
Com todas essas lembranças e uma abóbora gigante em casa, resolvi tentar fazer uma torta de abóbora americana, o resultado foi incrível, realmente parecia que ela havia saído dos livros! Lá vai a receita e os livros que compõe a coleção: 

Livros:
Uma Casa na Floresta
Uma Casa na Campina
O Jovem Fazendeiro
A Beira do Riacho
Às Margens da Lagoa Prateada
O Longo Inverno
Uma Pequena Cidade na Campina
Anos Felizes
Os Quatro Primeiros Anos
O Longo Caminho de Casa

Receita de Torta de Abóbora Americana

Primeiro prepare um purê de abóbora:

Ingredientes:
1 abóbora da sua preferência (se sua abóbora for gigante como a minha, use apenas um pedaço dela).

Modo de Fazer:
Lave bem a abóbora, corte-a ao meio, retire as sementes e leve para assar com casca e tudo.
Receita de Torta de Abóbora Americana

Quando ela estiver bem macia, tire do forno e depois que esfriar retire a casca, passe tudo no processador ou liquidificador.
Como a abóbora tem bastante água, o ideal é tirar do processador em colocá-la em um pano de prato limpo para escorrer bem. Você vai perceber que irá soltar bastante água.
Receita de Torta de Abóbora Americana
Você pode usar esse purê tanto em receitas doces, como salgadas.

Agora começamos a fazer a torta, me inspirei na receita do blog Da minha Cozinha, já que foi a receita que me pareceu mais tradicional. 

Ingredientes para a massa:
2 xícaras de farinha de trigo
150 gr manteiga sem sal - gelada
4 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de canela
4 colheres de rum
1 pitada de sal

Ingredientes para o recheio:
6 ovos
2/3 xícara de açúcar refinado
2/3 xícara de açúcar mascavo
2 colher de sopa rum
4 xícaras de purê de abóbora 
1 colher de chá canela
6 vagens cardamomo verde
400 gr creme de leite 

Modo de fazer:
Massa:
Misture com as pontas dos dedos a farinha, a manteiga cortada em cubos de cerca de 1 cm, a canela, o açúcar e o sal. Quando estiver uma farofa, vá acrescentando aos poucos o rum. Amasse até a massa ficar homogênea. Embrulhe ela filme plástico e deixe descansar na geladeira por 30 minutos.
Passados os 30 minutos preaqueça o forno e com a massa cubra o fundo e as laterais de uma forma grande (+- 32 cm), ou duas pequenas (+- 21 cm). 
Com um garfo, faça furos no fundo da massa. Cubra a massa com papel-manteiga e encaixe uma forma um pouco menor por cima da massa para fazer peso. Leve ao forno médio, preaquecido para assar por 10 minutos.
Retire do forno e deixe esfriar enquanto prepara o recheio.
Receita de Torta de Abóbora Americana
Recheio:
Tire as sementes de cardamomo das vagens e macere-os em um pilão.
Misture todos os ingredientes secos (inclusive o cardamomo). Aos poucos incorpore os demais ingredientes, deixando o creme de leite por último. Misture até ficar homogêneo.
Receita de Torta de Abóbora Americana
Coloque o recheio sobre a massa. 
Receita de Torta de Abóbora Americana

Leve novamente ao forno. Asse por 15 minutos em forno alto, depois abaixe o fogo para 160o e deixe a torta assando por mais 35 minutos ou até o recheio ficar firme.
Para ter certeza que está no ponto, espete o centro da torta com um palito, se ele sair limpo, está pronto.
Receita de Torta de Abóbora Americana
Sirva acompanhada com chantilly!

A história da abóbora gigante

Esses dias atrás meu marido saiu cedo para trabalhar e chegou em casa com uma linda abóbora gigante de mais de 40 quilos!
Abóbora Gigante




Ele disse que avistou uma banquinha de frutas e legumes no caminho para casa, quando percebeu a abóbora foi obrigado a parar e comprá-la. Realmente ela é linda, e está deliciosa, bem fresquinha! A partir de hoje, apresento uma série com várias receitas de abóbora, a começar pelo bom e velho doce de abóbora!

Receita de Doce de Abóbora Cremoso

Receita de Doce de Abóbora Cremoso


Ingredientes
8 quilos de abóbora cortada em pedacinhos
3 quilos de açúcar
Canela em pau a gosto
Cravo a gosto
Anis-estrelado a gosto

Modo de fazer
Coloque os ingredientes em uma panela em fogo alto e tampada. 
Receita de Doce de Abóbora Cremoso
Mexa de vez em quando, quando começar a soltar água abaixe o fogo e deixe cozinhando, não esqueça de mexer de tempos em tempos. 
Receita de Doce de Abóbora Cremoso

Receita de Doce de Abóbora Cremoso
Quando você perceber que ela já está desmanchando, comece a mexer vigorosamente até secar o que restar de água, e o doce estar bem cremoso.
Receita de Doce de Abóbora Cremoso





Receita de Omelete Sobremesa da Cora Coralina

Confesso que os domingos geram grande ansiedade em mim, é como que se eu tivesse que usá-los obrigatoriamente para me organizar para a segunda-feira... mas aquele domingo de inverno foi diferente... O sol entrou de mansinho por uma frestinha da janela do quarto, como se quisesse anunciar que o dia seria lindo!
Me senti deliciosamente aquecida e em meio à um espreguiçar preguiçoso, uma mistura de aromas subiu as escadas a me convidar para desfrutar daquele dia... Ainda sonolenta tentei identificá-los, o café com sua presença autêntica vinha na frente, na sequência, pé ante pé veio um aroma até então meu desconhecido, muito delicado, sutil, me remeteu à um sentimento de tranquilidade e aconchego... quem seria ele? Lavei o rosto rapidamente, desci, e encontrei meu marido com uma linda mesa posta, e um livro de receitas da Cora Coralina nas mãos. Ele havia acabado de preparar uma receita de omeletes doces da poeta e doceira. Sentei-me a mesa e ao lado seu lado e saboreei demoradamente cada pedacinho daquele doce, tão simples e tão delicioso, assim como aquele domingo.

Receita de Omelete Sobremesa da Cora Coralina

Receita de Omeletes Sobremesa da Cora Coralina
Deita-se 2 pães cortados amanhecidos em leite fervente e deixa-se embeber.
Junta-se uma xícara de açúcar, uma pitada de sal e mistura-se muito bem 3 ovos batidos.
Deita-se numa frigideira com manteiga, fringindo e virando, como omelete comum. Passa-se depois, para um prato polvilhado com açúcar e canela, queimando o açúcar com pá em brasa.
Faz-se quatro omeletes




COPYRIGHT (C) ENTRE MIL COZINHAS - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | DESIGN POR SUSAN SANTOS • PROGRAMAÇÃO POR HEART IDEAS.